fbpx

Poesia

  • Epiteliais
    epidermas quando és verbo, quando teu voo começa nos aquandos e teu sussuro me queima...
  • Epígrafe
    joga-me à terra, ao frio da lamanum dia qualquer de outono e soba virtude acinzentada...
  • O corte da língua
    no princípio; a infâmiao ardil que arrastao leito ocredo rio que descedo labirinto à gargantabravata;...
  • Achegado
    vez ou outra tropeçonum verso guardado,que se exibe feito novo,mesmo trajado de trapovelho e empoeirado.numa...
  • Apneia
    um espaço que habitaa acidez do cárcere.d'onde o aperto,entristece a falae faz doer e impedeo...
  • Magma
    performa em mim o silêncio.cobre-me o lastro das carênciase põe afeto neste sol furiosoque destrói...
  • Réquiem em dó maior
    aturdido junto a si.acordado, mas, tardiode perceber o gracejoda qualquer parte do dia.um sujeito atordoado...
  • Imo
    me-du-la: a dádiva postada ao todo.o íntimo; que do crânio, é vórtice.o ângulo; visto do...
  • A barbárie
    alguns dos meus versos,foram bestialmente decapitados,no paço-herético-municipal.ainda podem ser vistos por lá,no lóbulo frontal da...
  • Exegese
    fiz tudo sozinho.deixei-me cativo prachafurdar na euforia.vou aclarar de umavez por todas:essa coisa de mantervigilância...